Por Warlisson Ferreira / Karen Pimenta

Enfim com o lançamento do Fora do Eixo ao Extremo a Praça da Bandeira foi palco de mais um evento do Coletivo Palafita, só que desta vez, a frente Pólvora Cultural (ex- Extremo Forte Palafita) comandou a noite, mostrando o trabalho de bandas mais pesadas que compõem a frente.

Aproximadamente 600 pessoas lotaram o local e mostraram o quanto à música pesada pode mover fronteiras. Deixando os clichês pra trás, vamos falar um pouquinho de rock and roll.

A noite já começa com muito hardcore, primeiro com a banda Eskrro na linha melódica e com muita velocidade, mostrando ser uma banda nova mais com grande potencial no coletivo. E logo em seguida a galera já conhecida da banda Os Arranjados com vocais frenéticos e performance singular do baterista Renato, que fez o clima HC contagiar a veia da galera. 

A banda Reles faz um show impecável no festival, com uma cara renovada faz um som ainda mais pesado, seguindo o velho padrão de “power trio”. Seattle também se fez presente na voz de Kim, vocalista da Gás 11, além do bom e velho grunge mostrou uma grande presença de palco. Em seguida foi à vez do metalcore da Intruhder, que mais uma vez fez o público pirar, sendo uma das mais comentadas nas prévias do festival.

 

Por fim, uma das apostas para este ano, a banda Profetika que tocou recentemente do Grito Rock Roraima, mais uma vez foi ovacionada pelos presentes. A Profetika realizou uma excelente apresentação com muito Thrash-core e fechou a noite com pedidos afoitos de “quero mais” do público.

Na segunda noite a energia não podia ser diferente, mantendo o mesmo ritmo de público as bandas mandaram muito bem em suas apresentações. A programação inicia com a banda de metal Cerimonial Sombrio, na linha Gothic/Domm marcando com o vocal feminino de Luana em contraste com vocais guturais. Ainda com metal o clima segue intenso, dessa vez com a banda Carnnyvale mandando bala no Thrash oitentista puro, ou seja, “mosh pit” queimando ao som de riffs destruidores e vocais extremos.

                                                                                                                          

E para mudar o clima da noite entra a Domínio Elétrico com muita distorção suja e vocais gritados de Thiago Gama, sempre com uma ótima essência de grunge e punk rock. Trazendo um pouco da nostalgia de Seatle a Big Muff chega destruindo com músicas na linha grunge, levando a galera a loucura com muita pegada e altos berros.

Velocidade, arranjos trabalhados, melodia ao extremo nos vocais, isso resume a Heloim , banda de metal cristão veterena em Macapá que não deixou a desejar em sua apresentação. Agora com a banda Marttyrium a estrutura balançou com um death core de estremecer os ouvidos, vocais guturais, guitarras trampadas, linha de bateria inusitadas, isso tudo resultando na piração geral da galera que acompanhou.

E como não podia faltar um pouco de hardcore ao estilo Califórnia a galera da SPS12 chega sem muita conversa, com direito a mosh do palco durante o show inteiro, mostrando ainda mais energia após as viagens pelos festivais a fora. E encerrando a noite muita rebeldia e atitude com o punk rock da banda Nova Ordem, que como de costume coloca a galera toda pra cantar incansavelmente junto ao vocalista.

Após dois dias de festival a missão está cumprida, o lançamento do Fora do Eixo ao Extremo chegou ao fim com um final vanglorioso, onde todos os pontos do Brasil deixaram a sua marca registrada para esse novo sub-circuito que ainda mostrará grandes surpresas para o ano de 2010.

CONFIRA MAIS EM http://www.polvoracultural.blogspot.com/